sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

CONTRA OPINIÃO - DESTINOS CRUZADOS

   
Na última edição do CONTRA OPINIÃO, uma parceria com o Diário Hot, falamos sobre a série "Os Filhos do Rock" e é na área da ficção que vamos continuar. Com o seu fim próximo, "Destinos Cruzados" é a protagonista desta análise.


OLHAR A TELEVISÃO

Depois de um período menos bom, em que a ficção da TVI parece ter perdido qualidade, a estação de Queluz de Baixo teve que colocar novamente o pé no acelerador para trazer produtos de maior interesse para os espectadores, como foi o caso de "Destinos Cruzados". A novela que foi a grande aposta da TVI no início deste ano, e se encontra agora na recta final, conta com Alexandra Lencastre no papel principal - e em dose dupla. Escrita por António Barreira, "Destinos Cruzados" trouxe um ar fresco às histórias da ficção portuguesa.

Para além da trama principal, esta produção da Plural Entertainment para a TVI focou a sua aposta nos núcleos de humor, sendo as personagens Liliane Marise, interpretada por Maria João Bastos, e Moisés, interpretada por Pedro Teixeira, um grande sucesso junto do público português. "Destinos Cruzados" conta com um elenco de luxo e interpretações fantásticas. Mas, se no início era uma novela com ritmo e com acontecimentos marcantes a cada episódio, isso agora não acontece.

A principal culpa para que tal tenha acontecido não é do autor, mas sim da TVI que encomendou mais episódios do que aqueles que estavam inicialmente previstos e, isso, por mais imaginação que os argumentistas possam ter, pode ter sido fatal para uma trama que se começou a enrolar cada vez mais. às vezes resulta, outras vezes não. A este ponto, junta-se ainda o facto de nem sempre os autores terem o tempo suficiente para estruturar devidamente os episódios.

Para ajudar ao insucesso, a TVI, depois de uma boa gestão da novela na grelha, começou a transmitir cerca de 20 minutos e, ainda por cima, depois da meia-noite. Por muito bom que o produto seja, nenhum espectador aguenta tantas trocas e baldrocas. No fundo, aquela que era a grande aposta do ano da ficção de Queluz de Baixo, um produto totalmente português, acabou sendo "pisada" por "Belmonte", uma adaptação chilena que depressa se tornou na grande aposta do quarto canal e fez cair no esquecimento a história de António Barreira.

É certo que "Destinos Cruzados" estreou numa altura difícil, em que tinha como objectivo recuperar audiência perdida para a concorrência e, no geral, conseguiu. Não esqueçamos, contudo, que o Big Brother Vip terá contribuído para o sucesso de uma novela que, mesmo com bons resultados, não conseguiu destronar a líder "Dancin' Days", da SIC. Ainda assim, esta história tem nota mais que positiva, e esperamos sinceramente que o seu final, ao contrário dos episódios que agora estão no ar, seja realmente surpreendente.


DIÁRIO HOT

Estreada a 27 de Janeiro deste ano, a novela da TVI já entrou na recta final. A trama conta a história das sósias Sílvia e Laura e de como os seus destinos se cruzaram.

Esta história começou muito bem, o enredo prende qualquer um ao ecrã. Não é todos os dias que encontramos um autor com esta imaginação. Além disso, as personagens são muito marcantes. Destaco a "rainha da música popular portuguesa" Liliane Marise. O sucesso desta personagem é tanto, e isso deve-se, não só ao autor, mas quem a interpreta, ou seja Maria João Bastos.

Com o avançar da história, "Destinos Cruzados" tem perdido espectadores, isto não se deve ao facto da mesma ter perdido interesse, mas sim ao facto da TVI 'maltratar' a novela. Dizemos isto porque, cada vez mais a trama é empurrada para mais tarde e parece que o canal 4 deixou de lhe dar importância.

Esperemos que, agora, nos últimos episódios, a novela ganhe o fôlego que tem perdido. Sobre o final, esse permanece em segredo, apesar disso, temos expectativas que vai surpreender.

1 comentário:

  1. A historia é bonita mas acho muito mal a Liliane Marise mais o Moisés. Nao tem piada nenhuma poe serem tia e sobrinho.

    ResponderEliminar