domingo, 20 de abril de 2014

"The Voice Portugal" em análise #4


O "The Voice Portugal" continua a prender os espectadores ao pequeno ecrã, e as vozes que também continuam a fazer virar cadeiras prometem uma competição bem renhida numa fase de batalhas que está cada vez mais próxima.


Três programas emitidos e o "The Voice Portugal" soma já uma audiência média que ultrapassa um milhão e cem mil espectadores. Uma aposta ganha da RTP que já fez, inclusivamente, aumentar o interesse dos investidores neste horário. Prova disso é o intervalo publicitário a que, esta noite, o programa teve direito. Menos bom, desnecessário até, foi aproveitarem esta "interrupção publicitária" para "publicitarem" a edição especial do programa "Trio de Ataque", dedicado à vitória do campeonato pelo Benfica. Clubismos à parte, era escusado, muito escusado! 

O programa produzido pela Shine Ibera continua a primar pela boa produção, mas há falhas relativamente graves que não devem passar impunes, nomeadamente o da repetição das roupas dos jurados e apresentadores. De facto, depois de quatro emissões de Provas Cegas, o telespectador já percebeu que as gravações decorreram no mesmo dia - uma medida de contenção de custos, da qual não discordamos. O que faltou foi camuflar estes pormenores, tal como fizeram com outros (veja-se, por exemplo, o facto do edifício exterior que surge como entrada para o local das provas não ser o estúdio onde as mesmas foram gravadas e que foi bem "disfarçado"). E mudar de roupa seria tão simples!

E porque não passar a incluir a promo inicial do programa antes do genérico? Seria tão mais interessante "abrir o apetite" dos espectadores ainda antes do programa começar. É que estas imagens, bem editadas por sinal, perdem parte da força ao surgiram depois do genérico de abertura. Estamos também reticentes em relação à voz-off de Vasco Palmeirim - o que até soa estranho, já que o profissional vem da rádio. Mas a forma como tem colocado a voz e lido os textos não nos parece, de todo, a mais indicada. 

No que ao talento diz respeito, e consequentemente à qualidade das vozes, o quarto episódio foi o mais fraco. Ninguém, se destacou de forma especial e os momentos protagonizados pelos concorrentes foram, de igual forma, menos emocionantes e menos apelativos que em programas anteriores. Valeu, ao menos, para o estabelecer um equilíbrio nas equipas dos quatro mentores. 

As equipas estão, de facto, mais equilibradas do que nunca. Marisa Liz continua na frente, e conta já com 13 elementos (restam 3 lugares para completar a sua equipa). Logo de seguida, e bem próximo, surge Mickael Carreira, com 11 elementos. Anselmo Ralph e Rui Reinho estão empatados, com 10 concorrentes em cada uma das equipas. Consulte, de seguida, as listas actualizadas.

MICKAEL CARREIRA
Renata Gonçalves
Diniz Coutinho
Carlos Costa
Bernardo Nunes
André Carneiro
                Nuno Ribeiro                
Mário Pedrosa
Sandra e Rui
Mariana Bandhold
Catarina Alves
Joel Ferreira
????
????
????
????
????

MARISA LIZ
Anouska Romão
Inês Lucas
Miguel Monteiro
Nádia Marques
Maria Constança Moreira
         Gabriela Marramaque         
Mariana Morais
Bruno Vieira
João Alves
Inês Góis
Renato Morais
Bianca Barros
Sandy Soares
????
????
????


ANSELMO RALPH
Constança Gonçalves
Pedro Garcia
João Parreira
Sofia Fortuna
Leonor Andrade
Rita Seidi
Jéssica Cipriano
Rui Drummond
Vanessa Martins
David Fonseca
????
????
????
????
????
????


RUI REININHO
Alexandre Casimiro
Benedita Gonçalves
Gabriela Pina
Fábio de Sousa
Diogo Lestre
Pablo Oliveira
Carolina Santos
Tatiana André
Marta Carrilho
Mariana Azevedo
????
????
????
????
????
????


Numa altura em que as batalhas estão bem próximas, as equipas caminham a passos largos para fecharem os seus candidatos. Muita emoção, talento e competição são esperados nos próximos programas - e que venham eles, em doses extras de preferência.

2 comentários:

  1. Para quem tem um blog sobre televisão e à partida estará minimamente informado sobre a forma como se fazem os programas, acho estranho o seu comentário sobre as provas cegas terem sido gravadas no mesmo dia. Isto vem a propósito dos mentores se apresentarem com a mesma roupa. Apresentaram-se nas provas cegas cerca de 100 candidatos, se cada atuação demorar 15 minutos, são no mínimo 25horas, sem contar com os tempos mortos. Voilá! Deixo-lhe o desafio de descobrir como é feito o programa. Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara Mara Fonseca.

      Agradecemos, desde já, o seu comentário. Não mente quando diz que estamos, melhor do que ninguém, informados sobre como se faz um programa de televisão. Não é à toa que escrevemos um blog sobre televisão.

      Em relação à questão que motivou o seu comentário, pode até estar certa, porque poderíamos considerar humanamente impossível a gravação de todas as audições num só dia. Mas a verdade é que, para o público, a repetição das roupas dos mentores passa a mensagem de que as Provas Cegas foram gravadas no mesmo dia.

      E terem ou não sido gravadas num mesmo dia não desculpabiliza nunca a questão da roupa. Pelo contrário, se aconteceram em dias diferentes, ainda agrava mais essa questão. De facto, se as gravações decorreram em dias diferentes, porque não se alteraram as roupas?

      O que aqui se criticou foi um erro (considerável, por sinal) de uma produção da Shine que, de resto, tem sido exemplar. E o que nunca, mas nunca, foi posto em causa foi a qualidade do programa - que aliás, é de elevado nível.

      Uma vez mais, obrigado pelo seu comentário.
      Continue a visitar o OLHAR A TELEVISÃO

      Eliminar