quinta-feira, 29 de maio de 2014

RTP assina parceria com a Comissão das Evocações do Centenário da I Guerra Mundial

  
A RTP assinou na terça-feira uma parceria com a Comissão das Evocações do Centenário da I Guerra Mundial. Documentos de arquivo e elaboração de conteúdos estão entre os pontos da parceira.

Foi há 100 anos que a I Guerra Mundial se iniciou e, um pouco por todo o mundo, vários canais preparam iniciativas para assinalar esta data, incluindo a RTP. Assim, a estação pública de rádio e televisão assinou, na terça-feira (dia 27 de Maio), uma parceria com a Comissão das Evocações do Centenário da I Guerra Mundial com vista a criar e divulgar várias iniciativas em torno desta data, entre as quais a transmissão de documentos de arquivo e elaboração de conteúdos.

Em declarações ao Diário de Notícias, Alberto da Ponte, Presidente do Conselho de Administração da RTP, afirmou que a estação "já abordou o tema da I Guerra Mundial com a colaboração dos melhores especialistas nacionais e estrangeiros, civis e militares. É tempo de o recordar e voltar a exibir os trabalhos, mas também é tempo de produzir com criatividade e rigor novos trabalhos documentais e ficcionais sobre esse período da nossa história, que precisa de ser melhor contada".

O Presidente da RTP explicou que será uma programação que passará pela rádio, mas também pela televisão, "cujo veículo principal será a RTP2", e que compreenderá o período 2014-2018. Apesar do protocolo ser ainda "genérico", sendo que "vai ser detalhado posteriormente", Alberto da Ponte afirmou ainda que a programação deverá começar pela "exibição conteúdos de arquivo" e, mais à frente, "poder produzir conteúdos televisivos" com o objectivo de explicar as razões da guerra, o envolvimento de Portugal e preservar a memória colectiva deste momento histórico.

O ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, sustentou que "é natural, e louvável, que a RTP se associe a esta evocação", uma vez que "o espaço público mais e melhor informado é um dos objectivos fundamentais e estruturais do serviço público".

Poiares Maduro afirmou ainda que este período da história europeia que celebra agora 100 anos deve ser recordado "num momento extremamente difícil de integração europeia, em que o populismo anti-europeu tende a crescer, alimentado num espaço em que a esperança diminuiu para os cidadãos".

As iniciativas para assinalar o centenário da I Guerra Mundial irão decorrer entre 2014 e 2018 e decorreram a nível internacional e nacional.

0 comentários:

Enviar um comentário