segunda-feira, 7 de julho de 2014

"The Voice Portugal" em análise #14

Depois de uma primeira gala surpreendente, o "The Voice Portugal# regressou com toda à força à antena da RTP1. Em noite de grande espectáculo e intensas emoções, o público e os mentores escolheram os últimos semifinalistas.
  
  
Semana após semana, tornamo-nos parcos em palavras. Os adjectivos, substantivos ou até verbos começam a faltar. É inevitável. Não que isso seja negativo - antes pelo contrário. Mas o certo é que de domingo para domingo pouco mais há a acrescentar. O mau quase não existe, e o espectacular é cada vez mais abundante.

De facto, no que à produção diz respeito, pouco mais há a dizer sobre esta segunda gala do #The Voice Portugal# que ainda não tenhamos dito. Qualidade, ritmo, cor, espectáculo são as palavras certas. Ainda assim, convém realçar a inclusão de uma música que preencheu os momentos de saída dos concorrentes expulsos. A descolagem da gala do exclusivo na sala Mais Música merece também destaque positivo. Estes dois produtos apresentados separadamente resultam bastante melhor.

Destacamos novamente a emissão simultâneo na Antena 3, onde Diogo Beja foi acompanhando a par e passo a gala e as actuações e, ainda, a interactividade crescente do programa junto das redes sociais - uma excelente estratégia de aproximação aos espectadores.

No que toca à apresentação, e tal como aconteceu até aqui, todos têm cumprido o seu papel com profissionalismo e nada temos a apontar de negativo. E os mentores, depois de uma atitude menos boa de Rui Reininho na primeira gala, estiveram esta semana à altura.

Os concorrentes foram, no seu geral, mais fortes nesta gala - e as decisões complicaram-se, e de que maneira, para os quatro mentores. A equipa de Mickael Carreira abriu a noite, tendo sido Mariana Bandhold a primeira concorrente a subir ao palco; seguiram-se Nuno Ribeiro e Bernando Nunes. No final, Mariana, salva pelo seu mentor, e Nuno, o mais votado pelo público, juntaram-se a Carlos Costa e Jéssica Cipriano que já se encontravam na semifinal.

Seguiu-se a equipa de Anselmo Ralph, com Rita Seidi, João Parreira e Rui Drumond. Desta equipa, o público escolheu Rui Drumond para permanecer na competição e Rita Seidi foi a escolhida do mentor. Rui e Rita juntam-se assim a Pedro Garcia e Leonor Andrade.

O palco recebeu de seguida os pupilos de Rui Reininho Alexandre Casimiro, Constança Gonçalves e Ricardo Costa. Alexandre foi o favorito dos portugueses e Constança a escolha de Reininho. Os dois juntam-se agora a Tiago Garrinhas e Sara Ribeiro para as semifinais.

A fechar a noite, a equipa de Marisa Liz. Bruno Vieira, Ricardo Morais e Nuno Pinto foram os três concorrentes que pisaram o palco. Os espectadores escolheram o Nuno e a vocalista dos Amor Electro optou por salvar Bruno. Os dois juntaram-se a Bianca Barros e Luís Sequeira.

Contas feitas após a segunda gala, o lote de 24 concorrentes está agora reduzido a apenas 16. Estamos cada vez mais perto de descobrir quem será a próxima Voz de Portugal.

Na próxima semana, têm início as semifinais; haverá mais música, mais emoções, mais surpresas e um espectáculo que, esperamos nós, continue ao nível do que até agora temos vindo a assistir. O OLHAR A TELEVISÃO cá estará para o analisar ao pormenor… nós estamos preparados!

0 comentários:

Enviar um comentário