terça-feira, 15 de julho de 2014

"The Voice Portugal" em análise #15


Já são conhecidos os semifinalistas do "The Voice Portugal". Em noite de dupla expulsão por equipa, as decisões estiveram nas mãos do público e dos mentores e ditaram o fim da linha para oito concorrentes.



Num programa em que os concorrentes assumem o papel principal, o protagonista da noite foi manifestamente outro - e pelas piores razões. A terceira gala do "The Voice Portugal" e que antecedeu a semifinal do concurso, ficou irremediavelmente marcada pelas atitudes menos próprias de Rui Reininho. Ninguém ficou indiferente a alguns dos comentários que o mentor proferiu ou à sua saída prematura do estúdio.

Ora, se é verdade que já conhecemos a excentricidade do músico, também é verdade que o mesmo nunca se tinha comportado desta forma (e já é repetente no programa). Já na primeira gala o vocalista dos GNR não se tinha comportado da forma mais correcta, facto que aqui também referimos. Mas na gala deste domingo, as suas atitudes excederam quaisquer expectativas. Expressões como "beijo no focinho" dirigida a Marisa Liz, "um mentor é um ginecologista", "exames à próstata","toques rectais", entre outros, não caíram (nem a ele nem a nós) nada bem. E abandonar o programa antes deste ter terminado foi a gota de água.

O músico, que já se justificou à imprensa alegando um ataque de pânico, negou a ingestão de bebidas alcoólicas ou outras substâncias antes do programa. Mas o certo é que as suas atitudes não foram, de todo, normais. E aqui a culpa recai também sobre a produção que, ao aperceber-se do estado do mentor, se podia (e devia) ter precavido. Aliás, tempo não faltou, não nos esqueçamos que a emissão começou bem mais tarde que o habitual devido à final do Mundial de futebol.

É de esperar que tais situações não se voltem a repetir, até para não denegrirem um programa que, até agora, tem primado pela espectacularidade. Queremos acreditar que foi uma vez sem exemplo e que todo o excelente trabalho de produção e realização não ficará manchado por erros que aconteceram tão perto do fim.

Altura agora para assuntos mais positivos e para os verdadeiros protagonistas do "The Voice Portugal": os candidatos a melhor voz de Portugal. Os quatro concorrentes de cada equipa ainda em competição subiram ao palco numa actuação que, para dois deles, foi a última no programa.

Na primeira equipa da noite, dirigida por Anselmo Ralph, Pedro Garcia e Rita Seidi disseram adeus à competição. Rui Drummond, o escolhido do público, e Leonor Andrade, salva pelo mentor, seguem para a semifinal. Apesar do fim do percurso, Pedro e Rita foram convidados pelo cantor angolano para participar no seu concerto na Arena de Portimão.

Quanto à equipa liderada por Mickael Carreira, Nuno Ribeiro foi o concorrente preferido dos portugueses e Jéssica Cipriano foi escolhida pelo mentor. De fora ficaram Mariana Bandhold e Carlos Costa, com a certeza de que integrarão o concerto de Mickael Carreira no Coliseu de Lisboa.

Já na equipa de Rui Reininho, Alexandre Casimiro, escolhido pelo público, e Tiago Garrinhas, salvo pelo seu mentor, garantiram lugar na semifinal do programa. Constança Gonçalves e Sara Ribeiro despediram-se da competição.

Finalmente, na equipa equipa de Marisa Liz, foram o Luís Sequeira e a Bianca Barros os felizardos, tendo o primeiro sido escolhido pelo público e a segunda pela vocalista dos Amor Electro. Já Bruno Vieira e Nuno Pinto viram a sua participação no "The Voice Portugal" chegar ao fim.

Não podemos terminar sem antes lamentar o número reduzido de galas que o "The Voice Portugal" vai apresentar. Depois de uma longa e brilhante caminhada sabe a pouco, muito pouco, que a fase mais empolgante e decisiva se resuma a cinco galas.

Depois de um investimento elevado no programa e, nomeadamente, nesta fase dos directos - com destaque para o cenário, que na nossa opinião é um dos melhores cenários já vistos em Portugal - não se percebe o porquê desta decisão. 

Não seria de todo inviável a RTP alargar o "The Voice Portugal" até meados de Agosto, rentabilizando ao máximo o investimento já feito no programa. Percebemos que a estação pública queira dar um período de descanso para a estreia do "The Voice Kids", mas em vez de colocar em antena os especiais de "O Preço Certo" (que certamente trarão um outro público para a faixa horária, ditando o afastamento dos targets mais jovens), seria mais proveitoso aumentar o número de galas e, assim, fazer uma pausa de 2 a 3 semanas entre o fim e a estreia de cada uma das edições.

Alexandre, Tiago, Nuno, Jéssica, Rui, Leonor, Luís e Bianca. São estes os oito magníficos que no próximo domingo vão disputar um lugar na final. Quem será o escolhido de cada uma das equipas? O fim da aventura está próximo e só um será eleito a melhor voz de Portugal. E como habitualmente, nós aqui estaremos para levar até si a análise e opinião mais detalhadas.

0 comentários:

Enviar um comentário