quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Morreu Emídio Rangel


O fundador da TSF e ex-director geral da SIC, Emídio Rangel, morreu esta quarta-feira, dia 13 de Agosto, na sequência de um cancro na bexiga. Tinha 66 anos.  

Nasceu a 21 de Setembro de 1947 em Sá da Bandeira, actual Lubango, Angola, e era o mais velho de quatro irmãos, entre os quais o juiz Rui Rangel. A sua vida profissional começou como jornalista na Rádio Club de Huíla em Angola na década de 60. Trabalhou também na Rádio Comercial de Angola e veio para Portugal já depois do 25 de Abril.

Em 1976 entrou nos quadros da RDP, onde se manteve até 1988, ano em que integrou a equipa fundadora da TSF. O reconhecimento pelo trabalho desempenhado nesta estação de rádio valeu-lhe, três anos depois, o convite de Francisco Pinto Balsemão para assumir a direcção de informação da SIC, o primeiro canal de televisão privado em Portugal. 

Com a saída da Maria Elisa do projecto, Rangel acumulou a direcção de programas, ocupando assim o cargo de director-geral da estação. A liderança absoluta de audiências durante quase uma década foi um dos seus maiores feitos profissionais. Mas o crescimento da TVI no novo milénio com o fenómeno "Big Brother" veio quebrar esse ciclo. E ao fim de 9 anos, Rangel deixa a SIC. 
"Eu considerei que aquele formato não era realizável no modelo da SIC. Nós devíamos ter comprado para pormos na gaveta e ganharmos algum tempo para poder arranjar alguma coisa que pudesse contrabalançar isso. Para mim, o "Big Brother" não era exibível na SIC porque afectaria a credibilidade do resto da estação", recordou em Março deste ano, numa entrevista ao Jornal i.

Em 2001, depois de sair da SIC, aceitou o convite para o cargo de director-geral da RTP, mas acabou por sair no ano seguinte, regressando à TSF, como consultor para o relançamento da estação noticiosa. Em 2008 foi responsável por uma das propostas para o quinto canal em sinal aberto que deveria ter surgido com a chegada TDT, mas terá sido chumbado pela ERC.

O último projecto no campo dos media em que esteve publicamente envolvido foi a tentativa de criação de um novo grupo de comunicação com Rui Pedro Soares, antigo administrador da PT. O lançamento de um semanário foi um dos projectos ponderados para este novo grupo, que acabou por não avançar por falta de financiamento. No último ano, Rangel escrevia artigos de opinião em jornais e era comentador da RTP Informação.

O jornalista enfrentava há já alguns meses uma luta contra o cancro na bexiga, doença que já tinha ultrapassado há sensivelmente dez anos. O combate à doença fez com que Emídio Rangel se tenha afastado do espaço mediático nos últimos tempos. Esteve internado no Hospital de Santa Maria mas passou as duas últimas semanas nos cuidados intensivos do Hospital Egas Moniz. Faleceu na manhã desta quarta-feira.

O OLHAR A TELEVISÃO presta assim condolências à família e amigos do jornalista.

0 comentários:

Enviar um comentário