segunda-feira, 8 de setembro de 2014

ESPECIAL | "Lado a Lado"


Com o remake da novela "O Rebu" na recta final, a SIC prepara-se para estrear a sua sucessora, tendo decidido apostar em "Lado a Lado". Esta novela da Globo, tem a particularidade de ser de época, passando-se no início do século XX, tendo sido escrita por Claudia Lage e João Ximenes Braga.

Neste especial do OLHAR A TELEVISÃO vamos da-lhe a conhecer a história, o elenco e algumas imagens desta novela. Para iniciar, comece por conhecer a história.


A história de "Lado a Lado" passa-se no início do século XX. As protagonistas Isabel e Laura são duas mulheres bem diferentes um da outra, mas com ideais em comum.

Isabel é filha de um ex-escravo, Seu Afonso e vive com o pai em um cortiço. Desde os 14 anos de idade trabalha na casa de Madame Besançon. Com a patroa aprendeu boas maneiras e até um pouco de francês. A coisa que mais gosta de fazer é sambar, e é na roda de samba que Zé Maria a vê pela primeira vez e se apaixona. Pouco tempo depois, os dois formam um casal perfeito.

Zé trabalha na barbearia de Seu Afonso e tem a confiança da sogro, mas esconde de todos que é um habilidoso capoeirista. No início do século XX a capoeira era tida como ser praticada apenas pelos bandidos, e Zé Maria irá ver-se injustamente envolvido em confusões por causa disso.

Laura é filha de uma família rica e conservadora e sempre teve uma vida de conforto. É noiva de Edgar, que a pediu em casamento antes de partir para Portugal, onde se formou em Direito. Durante os quatro anos em que ele esteve distante, Laura também dedicou-se aos estudos. Formou-se no curso Normal e agora dá aulas na Biblioteca Municipal, o que lhe dá imensa alegria. O seu noivo está de volta e ela teme que o casamento ponha fim no seu sonho de ser professora.

A mãe de Laura, Constância reprova completamente os planos da filha. Para ela é inconcebível que uma mulher trabalhe e estude. Constância é uma ex-baronesa que perdeu o seu título recentemente, e enfrenta um momento de decadência financeira e não se conforma com as transformações pelas quais o Rio de Janeiro está a passar com a chegada da República. É uma vilã, mas não por maldade. No fundo, tudo o que ela mais deseja é a felicidade da sua família, e fará de tudo para garantir isso.

Ao reprimir o sonho de Laura, ela acredita que está a ensinar à filha como uma rapariga da alta sociedade deve viver e assegurar assim o casamento dela com Edgar, que é um excelente partido, filho do senador Bonifácio Vieira. Constância é casada com Assunção e ama-o, mas envolve-se com Bonifácio para conseguir um emprego de prestígio para o marido. Falsa moralista e assumidamente racista, não aceita o fim da escravidão nem a amizade de Laura com Isabel.

As vidas de Laura e Isabel cruzam-se no dia dos casamentos delas. As duas conhecem-se e Laura encanta-se ao perceber quanto amor existe entre Isabel e Zé Maria. Já Isabel não entende como Laura pode estar prestes a dizer sim no altar se não ama o seu noivo Edgar.

Os casamentos acontecem, mas agora elas são amigas e têm o mesmo sonho: lutar por liberdade e igualdade. Liberdade para todas as pessoas e igualdade de condições para negros e brancos, mulheres e homens na sociedade.

A trama mostra o início da formação da sociedade republicana brasileira e, por isso, além das lutas revolucionárias daquele período, retrata outros aspectos como o surgimento das favelas cariocas e a chegada do futebol ao Brasil.

0 comentários:

Enviar um comentário