terça-feira, 7 de outubro de 2014

"Análise sem Segredos" | #semana2

Luís C. abandonou a "Secret Story 5", reduzindo a casa mais vigiada de Portugal a 18 residentes. Numa semana em que as "garras"  foram postas de fora e as estratégias começaram a ser reveladas, houve espaço para falsas expulsões, para nomeações directas e para a descoberta de alguns segredos.

A segunda semana da "Casa dos Segredos" já lá vai, tendo terminado com a saída de Luís C. Mas antes da gala deste domingo muita coisa aconteceu na casa mais vigiada de Portugal. Os concorrentes começaram a mostrar quem realmente são e o jogo, esse, começou finalmente a ser revelado. E com o jogo chegaram também as primeiras polémicas e discussões, onde Vânia e Agnes foram os principais focos.

A abrir a semana, o botão dos segredos fez-se ouvir na Venda do Pinheiro. Desta vez foi Pedro que decidiu tentar a sua sorte, mas sem sucesso. O alvo do concorrente alentejano era Luís M., tendo apostado que o segredo era: "Fui casado com uma figura pública". Como já é do conhecimento de todos os portugueses, o segredo de Luís M. é "A minha mulher está na casa".

No que toca ainda aos segredos, Inês, Agnes e Liliana também arriscaram, sendo que a primeira errou e as segundas foram bem-sucedidas. O alvo de Inês foi Fernando com o possível segredo "Sou bisexual" - mas sem sucesso. Já o alvo de Agnes foi Cinthia: a concorrente romena descobriu a gravidez da mulher de Luís M. Por fim, Liliana carregou no botão dos segredos para descobrir o segredo de Paulo. A jovem apostou que Paulo tinha o seu filho (Hugo) na casa, e também acertou.
Mas nem só de segredos e discussões viveu a casa durante a segunda semana da competição. Também o jogo começou a surgir entre os concorrentes, tendo a VOZ ajudado à "festa" e baralhado os concorrentes.

Na terça-feira, dia de nomeações, Bruno e Odin ganharam imunidade, reduzindo a escolha das raparigas. Numa primeira fase, as concorrentes da casa tiveram que nomear um concorrente na sala: Luís M. foi o escolhido. No confessionário escolheram mais dois companheiros, sendo que, feitas as contas, Paulo e Luís C. arrecadaram mais nomeações.

A semana na "Casa dos Segredos" ficou ainda marcada por uma falsa expulsão. Foi no 'Diário da Tarde' de quarta-feira que Teresa Guilherme disse que os rapazes teriam que expulsar de imediato uma rapariga, tendo sido Agnes a escolhida, com seis votos. Passadas 24 horas, os concorrentes ficaram a saber que tudo não passava de uma mentira e que a romena tinha afinal passado a noite no quarto secreto.

Mais uma gala de emoções

Na gala deste domingo as surpresas foram muitas e, além da já esperada expulsão, a terceira gala ficou marcada por confrontos, discussões, por uma nomeação directa e pela imunidade de alguns concorrentes.

Agnes, uma das concorrentes que marcou a semana, quase sempre por atitudes muito pouco positivas, recebeu imunidade mas, para tal, teve que escolher entre Daniela ou Elisabete para perder este trunfo, tendo a romena escolhido Daniela.

No que toca a escolhas, Cristiana e Fernando também tiveram dilemas para enfrentar. Cristiana teve que escolher entre ficar imune ou deixar o Pedro falar com a sua mãe. A jovem escolheu a segunda opção mas, como prémio pelo acto filantropo, a Voz premiou-a na mesma com a imunidade. Já Fernando, na sala NOS, teve também uma difícil decisão a tomar: escolher uma consequência para ele ou para o grupo. O jovem escolheu a sua consequência, ganhando com isso uma nomeação directa.

A fechar a noite, e como é habitual, foi dado a conhecer o concorrente que ia ser expulso da casa. Com 67% dos votos, o escolhido foi Luís C.


Antes de terminar a segunda análise da "Casa dos Segredos", há alguns aspectos do programa que aqui merecem ser referidos. O primeiro diz respeito à nomeação directa de Fernando. Na nossa opinião, não é justo que o concorrente tenha sido nomeado da forma que foi. O jogo não está a ser igual para todos, parece haver concorrentes preferidos, mais até, protegidos. O desafio a que o concorrente foi sujeito pareceu realmente fora do contexto, dando inclusivamente a sensação que há concorrentes mais desejados que outros na casa.

Em segundo lugar, e vamos continuar a insistir neste aspecto porque a imagem e coerência contam muito num programa, não compreendemos como é que continuam a ir para o ar dois tipos de grafismos, com duas linhas completamente distintas. Será assim tão difícil fazer com que a nova linha gráfica vá de Queluz de Baixo até à Venda do Pinheiro? Parece-nos que não!

Terceiro e último, falamos da Prova da Dispensa, ou melhor, da ausência dela. Achamos que este é um dos aspectos do formato inicial que nunca deveria ter sido dispensado, até porque faz sentido que nestes programas os concorrentes "lutem" por alguma coisa e não passem apenas um período de férias. E convenhamos; numa altura em que nem até a roupa deixou de ser preocupação deles, não ficava mal a produção fingir que os inquilinos ainda se têm que esforçar por algo que não seja polémica e intriga - embora todos já saibamos que assim não o é.

Na próxima semana estamos de volta com mais uma edição da "Análise sem Segredos" para levar até si o mais detalhado olhar sobre a terceira semana da competição.

0 comentários:

Enviar um comentário