quarta-feira, 8 de outubro de 2014

"The Voice Kids" | em análise #2

À semelhança do "The Voice Portugal", o "The Voice Kids" conquistou o coração dos portugueses e conquistou também bons números para a RTP. Após uma estreia recheada de talento, treze vozes subiram ao palco das Provas Cegas e dez conseguiram garantir um lugar nas Batalhas.

Depois de uma estreia em grande, o segundo episódio do "The Voice Kids" não desiludiu, tendo mantido a qualidade a nível técnico e, principalmente, no que diz respeito ao talento que passou pelo palco.

Sem muito mais a acrescentar em relação à realização, edição, luz e som do programa, pontos nos quais a Shine Iberia continua a ser exímia, esta é a prova que também cá, em Portugal, se podem fazer programas com grande qualidade e que nada ficam a dever ao que se faz lá fora. Mas passemos aos protagonistas do "The Voice Kids".

No segundo episódio, foram treze as vozes que passaram pelo palco, tendo dez garantido um lugar na próxima fase do formato: as batalhas. Anselmo Ralph foi o mentor que mais talentos de palmo e meio conseguiu "agarrar" para a sua equipa: Marta Costa, Luana Velasques, Gonçalo Mendes, Isabel Schmidt, Pedro Goulão e Bárbara Bandeira. No total, o cantor angolano conta já com dez elementos na sua equipa.

Daniela Mercury e Raquel Tavares conseguiram dois concorrentes cada, sendo actualmente a equipa de ambas composta por cinco elementos. A cantora brasileira conquistou Carina Rodrigues e Ana Sofia Silva, enquanto que a fadista conquistou José Moreira e Ariana Abreu.

Antes de terminar, falemos dum ponto não muito habitual nestas rubricas: os patrocínios. Também aqui, a Shine e a RTP estão de parabéns, pois conseguiram atrair dois patrocinadores (principais) indicados para o programa: a Zippy e a Kinder. Ambas as marcas tem como público alvo os mais pequenos e é bom constatar que o canal e a produtora do "The Voice Kids" tenham pensado nestes pequenos grandes pormenores.

0 comentários:

Enviar um comentário