quarta-feira, 19 de novembro de 2014

RTP ganha os direitos da Liga dos Campeões

A RTP adquiriu, ao que tudo indica, os direitos de transmissão da Liga dos Campeões, que até gora pertenciam à TVI. A informação, ainda não confirmada, foi avançada pelo Jornal de Negócios.

A RTP terá adquirido os direitos de transmissão da Liga dos Campeões para as próximas três épocas. A informação, avançada esta quarta-feira, 19 de Novembro, pelo Jornal de Negócios, dá conta que a estação pública ofereceu à UEFA um valor que ronda os 18 milhões de euros.

A TVI também se encontrava na corrida para continuar a transmitir a 'Liga Milionária', mas a sua oferta não superou a da RTP. O pacote desejado pela estação pública inclui 16 jogos, os resumos e programas dedicados à competição.

Fonte da administração da RTP negou ao jornal Público o valor divulgado pela comunicação social, afirmando ser "muito menos do que os seis milhões" por época. A mesma fonte acrescentou ainda que decisão oficial só será conhecida sexta-feira, estando ainda a decorrer negociações.

O mesmo, aliás, é dito num comunicado emitido nesta quarta-feira pela estação: "O Conselho de Administração da RTP tem conhecimento de que o concurso para a Champions League está ainda a decorrer". No mesmo comunicado pode ainda ler-se: "Estranha-se, contudo, que sob forma anónima seja atribuída uma suposta vitória da RTP, com valores que nada têm a ver com os constantes da nossa proposta e que um operador se permita fazer comentários a destempo e que nos escusamos de adjectivar".

No Congresso das Comunicações da APDC, onde foi questionado pelos jornalistas, o presidente da RTP recusou comentar o assunto. O Jornal Público questionou também o gabinete do ministro que tutela a estação pública mas não obteve resposta.

TVI critica decisão da RTP

A TVI já reagiu às notícias publicadas. Helena Forjaz, Directora de Comunicação da Media Capital, proprietária da TVI, em declarações ao Público, confirmou que a estação ainda não tem qualquer confirmação oficial da UEFA sobre quem venceu o concurso.

Não foi, porém, indiferente às notícias que relatam os 18 milhões oferecidos pela RTP, dizendo tratar-se de "números  absurdos", que são "40% superiores aos oferecidos pela TVI". E acrescentou: "Nunca aceitaríamos ir a concurso oferecendo estes valores".

Helena Forjaz salientou que os valores que a RTP terá oferecido não são possíveis de rentabilizar, acusando a RTP de estar a "distorcer totalmente o mercado". "Esperamos que o serviço púbico regule o mercado e não que o desregule", referiu.

Já fonte da direcção de informação da TVI que pediu o anonimato, em declarações ao mesmo jornal, disse estranhar que "nenhum canal tenha concorrido às transmissões dos jogos da Liga Nacional" e "agora apareça a RTP a oferecer um valor absurdo pela Liga dos Campeões" onde "nem sempre está garantida a presença de uma equipa portuguesa ao longo da competição".

"A haver serviço público, se é que o futebol pode ser considerado serviço público, ele estaria na Liga portuguesa e não na Liga dos Campeões", afirmou a mesma fonte.

A direcção de informação da TVI acusa ainda a RTP de "inflacionar os preços" e questiona a "possibilidade de rentabilizar o negócio", uma vez que os seus espaços comerciais são, por lei, metade dos praticados nos operadores privados.

A rentabilização do investimento é feita através da publicidade angariada nos intervalos dos jogos e dos programas que a estação dedicar à prova, a que se podem somar eventuais patrocínios. A dificuldade para a estação pública está no facto de a RTP só poder ter seis minutos de publicidade por hora, enquanto as privadas estão autorizadas a ter 12 minutos. Além disso, estando a facturação publicitária indexada às audiências, estas serão tanto maiores quanto mais longe forem as equipas nacionais ou equipas internacionais nas quais se encontrem jogadores ou treinadores portugueses – como aconteceu na final deste ano, no estádio da Luz, com o Real Madrid.

Recorde-se que, a última vez que a RTP deteve os direitos da Liga dos Campeões aconteceu entre as épocas 2010-2011 e 2012-2013. Quando terminou o contrato, a administração da estação pública tencionava fazer nova proposta, mas o Governo de Passos, recentemente eleito, travou a RTP, numa altura em que a pasta da comunicação social era tutelada por Miguel Relvas. O executivo entendeu então que a crise que o país estava a viver não permitia que o canal público se envolvesse em negócios de milhões. A TVI concorreu sozinha e ganhou.

Agora, as circunstâncias financeiras do país e da RTP parecem ter mudado, já que o canal público foi autorizado a avançar com aquela que será a proposta mais alta de sempre pelos direitos da competição.

A SIC, que detém os direitos da Liga Europa, voltou a não entrar na corrida aos direitos da Liga dos Campeões.

0 comentários:

Enviar um comentário