segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

"Achas Que Sabes Dançar?" em análise | #2

Ivo da Fonte e Maria Antunes disseram adeus ao palco do "Achas Que Sabes Dançar?",  numa noite que ficou novamente marcada pela votação polémica do público português.

O espetáculo foi variado e primou pela mostra dos mais distintos estilos - desde o Jive, passando pela Valsa, viajando ao sabor do Samba até ambientes de Bollywood. Em terrenos para alguns desconhecidos, os 18 finalistas foram postos à prova e deram o seu melhor para garantir a permanência na competição, num espetáculo de dança onde não faltaram luz, cor e coreografias emocionantes.

À prova, uma vez mais, esteve Diana Chaves. E não tivesse já a apresentadora dado "provas dadas" de que foi a escolha acertada para este papel, a segunda gala em directo veio comprová-lo novamente. Simplesmente perfeita, absolutamente espetacular. Não nos cansamos de o repetir. Um sorriso cativante, uma voz bem colocada, uma piada à mistura e as palavras certas para todos. Diana Chaves é, sem dúvida, um dos pontos mais altos - senão até o mais alto - desta segunda temporada do "Achas Que Sabes Dançar?".
Também o painel de jurados composto por Joaquin Cortes, Rita Blanco e Marco da Silva cumpriu na perfeição a sua função. Destacamos o excelente sentido de humor de Rita Blanco que desconstrói as linhas mais rígidas da emissão, conferindo um outro colorido ao programa e roubando, certamente, muitas gargalhadas ao público no estúdio e em casa.

Findadas as coreografias, e depois de uma actuação no masculino e outra no feminino, foi altura de revelar as escolhas dos portugueses que, à semelhança da primeira gala, se revelaram bastante polémicas. Reforçamos, uma vez mais, a ideia de que o público não se presta a votar e a culpa não é certamente dele.

Este, de resto, é um problema recorrente na televisão nacional e transversal aos vários programas do género. Talvez a culpa resida no sistema de votação adoptado onde, salvo raras excepções, apenas vão escapando os concorrentes com grandes grupos de fãs predispostos a efectuar chamadas. Mas, infelizmente, o maior interesse dos canais parece estar nos rendimentos provenientes do valor acrescentado, o que apenas retira credibilidade à votação.

Mas voltemos ao espetáculo. Depois dos 6 bailarinos menos votados dançarem pela vida, a difícil decisão coube ao painel de jurados, que optou pela eliminação de Maria Antunes e Ivo da Fonte. A aventura no palco do "Achas Que Sabes Dançar?" chegou ao fim para estes dois concorrentes.


Para encerrar a análise desta semana queremos trazer à discussão aquilo a que resolvemos chamar de "intervalo da morte". Referimo-nos ao bloco publicitário colocado entre o "Jornal da Noite" o início do "Achas Que Sabes Dançar?" que, no nosso entender, o está a prejudicar ao nível audimétrico - basta atentar na queda abrupta de audiências entre o noticiário e o talent-show. A qualidade é o mais importante, já sabemos, e esta temporada do programa tem-na de sobra, mas é claro que as audiências interessam, mais ainda quando se tem um produto de qualidade que merece ser visto pelo maior número de pessoas possível.

O maior problema, parece-nos, está no facto de a SIC continuar a encarar a TVI como principal concorrente neste horário, esquecendo-se da grande franja de público que a RTP - cujo target é semelhante - tem vindo sucessivamente a "roubar". Seria mais benéfico, achamos nós, uma maior reflexão sobre estes pormenores. 

1 comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar