quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

OFICIAL | RTP vai transmitir a Liga dos Campeões

A RTP vai mesmo transmitir a Liga dos Campeões durante as próximas três temporadas. A decisão oficial foi divulgada esta quinta-feira pela estação pública.

Após toda a polémica que envolveu a RTP e a aquisição dos direitos de transmissão da Liga dos Campeões, tendo mesmo levado à demissão da administração de Alberto da Ponte, a estação pública divulgou oficialmente esta quinta-feira, 26 de Fevereiro, que irá transmitir durante as próximas três temporadas a competição europeia.
Em declarações à Lusa, Gonçalo Reis, Presidente da estação pública, disse que "A RTP vai ficar com a Liga dos Campeões, vamos honrar os compromissos com a UEFA", garantindo que esta é a "posição definitiva" da empresa.

O responsável disse ainda que a RTP não vai sublicenciar a competição europeia, tendo acrescentando que, apesar dos direitos de transmissão representarem um "investimento muito elevado", este é "um grande produto televisivo". Apesar disso, o impacto deste evento desportivo nas audiências "é brutal", disse ainda o Gonçalo Reis.

O Presidente do Conselho de Administração da RTP disse ainda que "historicamente é um produto da RTP", sublinhando que "a Liga dos Campeões está no DNA" da empresa, e a estação "tem condições únicas para tirar melhor partido do evento".

Com o objectivo de rentabilizar o máximo que conseguir o investimento, Gonçalo Reis é claro: "Rentabilizar totalmente vai ser difícil", dado o valor de investimento, que é de cinco milhões de euros por ano, num total de 15 milhões de euros. "Vamos fazer uma cobertura alargada, incluindo rádio, televisão, 'online'", disse. Este é um "sinal de que a RTP está no mercado", afirmou.

RTP disponível para partilhar Mundial de Futebol

Gonçalo Reis revelou ainda que: "estamos disponíveis nos grandes eventos como o Mundial de futebol, a retomar a tradição, num modelo a definir, de partilha ou sublicenciamento com outros operadores privados", tendo a RTP já manifestado essa intenção aos seus concorrentes.

Nestes casos, como por exemplo os Mundiais de 2018 e 2022, "a RTP será sempre o principal operador", acrescentando que "a nossa postura é de que estamos disponíveis para estudar formas de, em grandes competições que a RTP tenha os direitos, sublicenciar ou partilhar", tal como já aconteceu anteriormente com o Europeu de Futebol de 2004, afirmou.

0 comentários:

Enviar um comentário