domingo, 8 de março de 2015

MasterAnálise | #2

O "MasterChef Portugal" regressou este sábado para a última fase de selecção antes da cozinha. Depois do 'Mega-Casting' e da 'Cozinha de Preparação' chegou a vez dos 30 aspirantes a "MasterChef" enfrentaram o Bootcamp.

O bacalhau sucedeu ao pão (utilizado na temporada anterior) como produto rei da primeira prova do Bootcamp, prova essa que não correu pelo melhor a todos os concorrentes. Resultado? Vários pratos "rijos que nem uma pedra", várias espinhas encontradas pelos jurados e muitos outros erros que foram fatais para os 10 concorrentes que abandonaram de imediato a competição.

Com o lote de participantes reduzido a 20, foi altura de viajar rumo à cozinha do "MasterChef". Mas depressa se desenganaram os concorrentes que pensavam já aqui ter um lugar garantido. Perante um último desafio, cinco tiveram que dizer adeus à cozinha onde tinham acabado de chegar.
No que à produção deste episódio diz respeito, eficiência não faltou e do primeiro ao último minuto o ritmo presente no ecrã foi o indicado. Em doses q.b. estiveram também presentes a emoção e o jogo, que se parecem ter acentuado nesta temporada, e que são ingredientes essenciais para tornarem este "MasterChef" num excelente prato de degustação.

Destacamos ainda o júri que, ao contrário do muito que sem escrito nas redes sociais, está a desempenhar exemplarmente o seu papel. Não denotamos arrogância, nem autoritarismo nas suas avaliações, muito pelo contrário. Estão ali a cumprir um papel, que envolve não só avaliar futuros chefes de cozinha mas também propiciar um bom programa de entretenimento - e, neste último ponto, são irrepreensíveis.

O ponto negativo deste "MasterChef" continuar a ser o uso excessivo da voz-off. Reforçamos a ideia de que as imagens devem falar por si. Acaba por se tornar muitíssimo cansativo, ensurdecedor até, ouvir continuamente a mesma voz a relatar situações idênticas, especialmente quando repete aquilo que o espectador acabou de ver.

Por último, fazemos referência à aplicação interactiva do programa que ingressou por completo na língua de Camões. Seria um inteiro desperdício que as potencialidades da app "MasterChef Portugal" não fossem aproveitadas em pleno por um erro parvo que, felizmente, a TVI e a  Shine Iberia Portugal solucionaram a tempo.

1 comentário:

  1. Programa de excelência. Grande júri. Não concordo que a voz off seja repetitiva e ensurdecedora, pelo contrário...

    ResponderEliminar