sexta-feira, 20 de março de 2015

MasterAnálise | #3

Depois das fases de selecção, o "MasterChef Portugal" entrou no auge da competição. Com o TOP15 formado, e depois dos primeiros desafios, Eva despediu-se da cozinha mais desejada de Portugal.

A competição do "MasterChef Portugal" chegou esta semana ao seu ponto alto. Depois de milhares de pessoas terem tentado a sua sorte, apenas 20 conseguiram chegar à cozinha do "MasterChef", mas cinco não chegaram sequer a aquecer o seu lugar e disseram adeus a um lugar no TOP15.

Não há, agora, espaço para falhas, e o mais pequeno erro pode colocar em causa a permanência na competição. O desafio da "Caixa Mistério" e o foie gras lá contido depressa levantou a curiosidade entre os participantes. Parece-nos interessante a escolha de ingredientes mais complexos por parte da produção, até impõe já desde o início o nível da competição. No final, Sílvia foi a vencedora da prova, tendo ganhado vantagem para a prova do exterior.
Já no exterior, organizados em grupos, os concorrentes foram encarregues de confeccionar os pratos principais de uma boda de casamento. Para apimentar o desafio, além dos pratos de carne e peixe ambas as equipas tiveram que cozinhar pratos especiais para quatro convidados (dois por equipa): para a noiva, que não comendo carne também detestava soja e tofu; para uma convidada celíaca; para um convidado para além de celíaco era também alérgico à caseína; e para um último convidado que não comia peixe, aves e ovos.

O nível de exigência tem, de facto, aumentado consideravelmente face à temporada passada do "MasterChef Portugal". Esperamos, contudo, que as ideias não faltem e que o nível se mantenha a cada semana. No decorrer da prova, as dificuldades sentidas pelos concorrentes foram muitas. Sílvia, que entrou com a vantagem de formar as equipas e escolher em qual queria ficar, não conseguiu levar a sua à vitória e, assim, a equipa azul, que tinha inclusivamente mais um elemento, saiu derrotada.

De regresso à cozinha do "MasterChef", chegou a hora mais temida: a "prova da eliminação". A equipa vermelha, a salvo, teve a oportunidade de salvar um elemento da equipa azul. Leonel foi o feliz contemplado. Aos restantes foi pedido que confeccionassem uma sobremesa em que o mel fosse o ingrediente principal.

No final de uma prova recheada de alguns percalços e depois de todos os pratos provados pelos jurados e pelo convidado especial, o Chefe Pasteleiro Francisco Gomes, Eva foi a escolhida para abandonar a competição.


Analisadas as provas, não podemos terminar esta MASTERANÁLISE sem elogiar o vídeo de abertura deste terceiro programa e a ritmada edição ao longo de todo o episódio, onde até a banda sonora parece ser escolhida a dedo. Por ventura, há também espaço para críticas. E, uma vez mais, chamamos a esta análise a voz-off. Será possível premir no botão "off" desta voz? É que torna-se realmente cansativo ouvir constantemente o relato do que os nossos olhos estão a ver, do que está a acontecer a cada instante. Há que apostar nos depoimentos dos concorrentes que estão a ser postos de parte.

No próximo episódio, mais provas virão e a Serra da Estrela vai receber os 14 aspirantes a "MasterChef". Quanto a nós, cá estaremos para mais uma MASTERANÁLISE. 

0 comentários:

Enviar um comentário