segunda-feira, 13 de abril de 2015

"Got Talent Portugal" em análise | #8 (FINAL)

Os The ArtGym Company sagraram-se vencedores do "Got Talent Portugal", numa final que ficou marcada pela emoção e pelo enorme talento dos treze finalistas.

Foi muito o talento que, semana após semana, foi passando pelo talent show da RTP, talento esse que culminou numa última gala cheia de espetáculo que voltou a comprovar que Portugal tem de facto imensos artistas por revelar.

A noite foi de festa e as surpresas não faltaram na grande final do "Got Talent Portugal". Sofia Escobar e Rui Massena fizeram as honras e abriram a emissão protagonizando um momento musical de pura emoção para o público no estúdio e em casa. Estava assim dado o mote para uma final que tudo tinha para ser de elevada qualidade - e assim foi.
As fantásticas actuações dos treze finalistas, aliadas à brilhante produção da FremantleMedia Portugal e a convidados de grande nível, contribuíram para esta qualidade. Mas também as VT's apresentadas, os cenários criados em palco e até a própria iluminação demonstraram que esta foi de facto a gala das galas do programa.

Referir também as escolhas dos convidados especiais que, se no geral das semifinais foram sempre nomes reconhecidos, nesta final bateram todos os recordes. Os Collabro, vencedores da edição de 2014 do "Britain's Got Talent", foram uma escolha mais que acertada para marcar presença nesta gala e proporcionaram dois momentos absolutamente geniais.

A gala, de resto, primou pelo ritmo e, sem que se desse por isso, o ponto alto da noite rapidamente chegou. Após doze semanas de competição, o público português consagrou os The ArtGym Company como grandes vencedores do "Got Talent Portugal", que levaram para casa um prémio de 30 mil euros oferecidos pela Santa Casa.


Com a vitória dos The ArtGym Company a competição no "Got Talent Portugal" chegou ao fim. Apesar disso, a despedida do formato acontece apenas no próximo domingo, com uma gala especial de consagração dos vencedores.

A terminar esta série de oito análises, deixamos uma palavra a Marco Horácio, que esteve bem enquadrado neste papel e, apesar da inexperiência neste tipo de formatos, cresceu visivelmente na fase das galas em directo. Destacamos também o painel de jurados, que se mostrou diversificado e se revelou bastante competente nas suas decisões.

Esperamos que o "Got Talent Portugal" regresse à antena da RTP1. Talvez as boas audiências obtidas nesta temporada possam ajudar neste regresso. Apesar da discussão recente em torno do serviço público, reforçamos que este formato tem todas as condições para voltar à antena, porque não se trata apenas de mais um programa de grande entretenimento mas é, acima de tudo, um espaço onde o talento das mais variadas áreas se pode manifestar - e essa, convenhamos, é competência de um bom serviço público de televisão.

1 comentário:

  1. Desta vez o lenço de lapela usado pelo Marco Horácio, foi literalmente engolido (terá sido magia?) pelo bolso do blazer após a segunda actuação do grupo "Collabro".

    ResponderEliminar